Textos




Na parede branco nuvem
A sereia desenhada
Redesenha seu mistério.
Luz de néon
Pingos de música impossível
Possível solidão.

E eu que me pergunto:
Quantos passos são precisos
Para construir a estrada?
Quntas perguntas se levantam
Sobre o decidido silêncio do nada?

Na madeira em que gravo meu espírito
Meu nome se perdeu entre rabiscos,
Que a mão
Em rebelde grito
Libertou
Versos malditos e ariscos.

OBS: Texto escrito em 1984
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 18/03/2008
Alterado em 10/05/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo (www.alexandregazineo.com)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários