Textos


Se eu seguir rumo Norte, contra o vento
a secar minhas lágrimas esquecidas...
Ainda assim não sei se te verei, amada
na janela da chegada, entregue
ao abraço que nunca mais te darei.

Atordoado, talvez melhor seria
escolher o refulgir do Oeste
onde cavalgam os índios da minha infância
e o forte apache me sussura segurança....

Mas quem me garante que por lá estarás,
minha única squaw desejada
a firmar tratados d epaz com os invasores
do meu indefeso coração?

Fujo, pois, em asas furiosas
para o distante Leste
pássaro indomovável e inconteste...
Quero fazer-te sobrevoar as nuvens
minha namorada, meu amor, minha peste...

Então só mesmo o Sul
aplacaria a dor de todo este não encontro
pois, caso fosse tão só desencontro...
Ah! Menina arisca e cardeal
minha querência, minha terra, meu sal...


 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 19/08/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários