Textos


                         Para Rodrigo Dantas, em Cabo Verde.



Era uma vez um menino
a deslizar íntimo nas dobras do vento...
Era uma vez um menino e seu barco
e um mundo azul como momento.

Mas malvado instante, contratempo
roubou-lhe a carícia amante das ondas
e a maldade de gente abissal
fez do que era essência mal.

Mas a surpresa desta história
plena de honra e de glória
é que o menino fez-se resistência
e enfrentou a cara feia da inclemência.

Em terra estranha dita Verde
tornou-se dourado feito ouro
e nos ensinou que a sede por justiça
é o veleiro de nós todos.

O vento domado pelo menino
verga ondas, aplaina Cabos
e o sorriso que da cela refulge
é farol que renega naufrágios
é coragem ante a fera que ruge.

Era um vez um menino e  o mar
parceiro do horizonte, do desbravar
menino que tem firmeza
enquanto sonha à casa voltar.

este menino poderia ser eu
ou qualquer outro que a história ler...
pois a lição que ele nos dá
exala liberdade em todo seu há de ser.
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 06/01/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários