Textos


Nas rugas que vasculham o rosto
correm generosos os rios do passado...
Quem dera não tivessemos um passado!
Nenhuma recordação insone em alta madrugada
nenhum arrependimento trancado nos cofres do coração.
Apenas o presente e a memória imediata das coisas

cadenciada pelo tique-taque dos relógios de ponto
semana inglesa às ânsias e percepções.

Nenhum passado!
Nenhuma fotografia a nos flagrar
na debilidade da infâncioa
nas incongruências da adolescência.
Somente o presente e seu dócil manejar
conforto de não estar vindo de lugar algum
nem de estar indo em qualquer direção.


Hoje e tão somente hoje
livres enfim da prisão dos calendários
do tempo que se perdeu e que se busca achar
perdendo-se mais e mais...
Indolência e indiferença
alma senhora e soberana
ante todas as vis inconsequências. 


Crédito da imagem: https://www.tricurioso.com/2018/09/06/qual-a-diferenca-entre-os-calendarios-solares-e-lunares/ 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 29/11/2018
Alterado em 29/11/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários