Textos


E eis que o que passa
passará...
vento forte, dobra de tempo
nanosegundo de percepção...

Mas o que passa  
há de sempre passar
como quem não para sequer para olhar
a imagem breve de algum lugar.

E passando liberta o estar
do inútil remorso
pesadelo do recordar.
O que passa sempre passa
passando ao perpassar.

E nem a armadilha 
do coração mais contrito
angústia de trêmula mão...
dirá que não passe
a vida de um em um milhão.
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 18/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários