Textos


Estou saindo do arco iris
descolorido e livre...
Não envergo nenhuma cor
exata
nem amarelo gema
nem branco cascata.

Não sou gnomo de novidades
aquele que rouba o pote de ouro...
nem me sorriem estrelas
ou me assustam invernos
e desgraças ocasionais.

Sou tão só este torto anjo
viciado em contramão
poeta por fado e por espanto
em buscado som primeiro
canção.


E quem quiser saber quem sou
envie uma carta anônima
para a posta restante
do amor...
onde eu tento ser
somente o que eu sou.

 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 06/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários