Textos


Fui ali, meus sete anões da floresta
vou tão rápido que não há Lobo Mau
que me alcance ferozmente a pressa.

Fui ali e volto já
espectadores da estação fechada
onde o último trem passou
muito antes de eu nascer.

Fui ali e sei lá se volto já
e, se voltar, será que voltarei
recitando as mesmas tolices
adorando o mesmo vazio silencioso?

Fui ali e não volto já
porque já voltei demais, insisti
sonhei e ruminei
e não aprendi uma só palavra em alemão...

Fui ali e sabe-se lá o que será de mim
agora que até minhas lembranças me confundem...
Vou correndo à praça dos prazeres
aos montes de mitológicos seres
aos becos sem saída e sem fim.

Porque ainda fujo e isto é bom
posto que, de certo modo, vivo
além das prateleiras cheias de pó.
A poesia não me resgata
papagaio da cultura
vou ali e volto já
sem pressa e sem rapadura. 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 30/04/2018
Alterado em 30/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários