Textos



                                        Para Sylvana e Davi


Agora escrevo sobre minha casa
casa esta que por certo posso imaginar
lar
onde correm os sonhos relampejantes do meu filho
que faz certo tempo aprendeu a caminhar.
 
Aprendemos todos nós, bem ou mal
a nos proteger do muito que nos atormenta,
a consciência
deixemos à cargo de todas as crenças
pois a mim me bastam a insuficiência e a ciência.
 
Saber onde estou nunca me justificou diante de nada
todos meus estudos foram vãos, e os livros nas estantes
nem todos, pelo que lembro (e é tão pouco o que recordo)
têm um final feliz que pacifique a ideal (falsa?) felicidade....
 
Minha casa a quem escrevo essas linhas
(que eu dela não me esqueça pelo caminho....)
retraça em mim os mapas da Antiguidade, quando o tempo
era o próprio espanto do tempo, seguir...
 
Minha casa e os tesouros nela ocultos
meu Vale dos Reis tropical...
é um deslizar de rodas de bicicleta, infância
meu sangue, meu corpo, meu quintal.

 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 23/04/2018
Alterado em 23/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários