Textos


Na contagem rigorosa do que se vive e já se viveu
tenho no meu lado direito, 5, e na banda esquerda, 6
que, somados, remontam 56 
quilometros de ser eu mesmo e mais ninguém.

Mas eu provo uma negação sistêmica...
a de me encarar no espelho e não ver o quase velho
que me constrange...
Eu imagino (porque a maldita imagem me prende...)
um menino talvez jovem, no mais adolescente
a arrastar pelas veredas uma mala de belezas...
eu me vejo Alexandre novamente...

Sou mesmo então por rebeldia
da proxima velhice que me assedia...
um certo menino que anda por aí...
dando bom dia a quem é do dia
dando pedaços da própria alma
empréstimo de alegria.

E a cara contrita no espelho?
e o velho bíblico que cheira a velhas Escrituras?
Dele escapa o menino ora imaginado
para frutificar, quem sabe, no acaso
o mundo eternamente jovem dos descarados.



 

 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 01/04/2018
Alterado em 23/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários