Textos



Hoje eu lembrei de você
não de um gesto familiar, de uma conhecida expressão
mas sim de você, em si mesma e em raiz
aquela que me fez encantar muito antes de partir.
 

Hoje lembrei de você
e me perguntei porque todas as outras que cruzam
meu horizonte acidental
(faz tempo deixei de ser intencional)
apenas passam e rápidas vão se apagando
como se em si não fossem luz, mas tão só temporal.
 
Hoje lembrei de você
e me vi confrontado com esta entrevada exaustão...
Quero mexer os braços, exercitar a boca
em beijos de alucinante pecado, deusa do meu perdão...
 
Ora lembro de você e eis que tal lembrança
é muito lembrar de mim mesmo, antes vivo...
Não lhe perdoo o cirúrgico corte, antisséptico adeus
porque na mesa desta cirurgia
quem morreu fui eu. 

 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 29/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo (www.alexandregazineo.com)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários