Textos


Um dia ainda vou me sentar na Piazza San Marco
e esquecer quem sou...
vou estar escondido atrás de um macchiato
sentindo a velhice se aproximar de gôndola
pelo universal canal das idades...

Eu vou me tornar uma estátua renascentista
afligida pelo cocô dos pombos e pelos 'selfies' dos turistas
em uma vida pétrea de alegria e vagabundagem
vou ser o poeta mais silencioso que já existiu.

Um dia serei patrimônio cultural de outra humanidade
de uma que tenha sonhos concretos e realizáveis...
serei o grilo falante do Pinóquio
atento a toda estupidez e bobagem.

Na Piazza San Marco imaginarei meu filho já adulto
reinventando o mundo ao lado de sua mulher
                         (terei netos? Não sei, a Europa ressente-se de parir).
E vou celebrar com minha mulher o tempo que não perdemos,
entre o beijo, o sexo, a vontade e a hora de partir.

Serei de tudo testemunha, na Piazza dos senhores e Doges;
não vou achar que em mim se engendrará uma nova Veneza,
não é preciso, sou apenas transitória imagem
na galeria desta estupenda beleza.
 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 03/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo (www.alexandregazineo.com)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários