Textos


Sou mesmo este sapato velho
Do qual divórcio... nem pensar!
Sou abraço aconchegante
contra a aridez das estradas
delícia de caminhar.


Sou mesmo teu sapato velho
e ao fundo do armário
não volto e nem vou voltar.

Fico bem aqui te espiando
zelando o teu cansar
curando os calos da existência
ajudando teu descansar...


Não vives sem mim
minha doce querida
em que pese teu desconfiar...
Pois então enfia este sapato velho
E vamos logo passear!
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 25/05/2017
Alterado em 04/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo (www.alexandregazxineo.com)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários