Textos


                                                           Para Lurdes Bispo de Jesus (1940-                                                            2008), minha babá, saudade sempre.

Com você,
Tantas coisas se foram
Que nada é sequer a sombra do que foi...
Debandaram as aves da alegria
Os suaves trinados da inocência
Agora vivo só aquilo que sou.

Quando você partiu, portas se fecharam
E os salões da memória
Emsombrecidos
Apagaram-se em vazio incolor.
Sua voz
Seus gestos vagarosos
Suspensos no éter do tempo
Brancas nuvens
Figuras exatas desta dor.

A casa em que vivemos já não existe
Porque existir está além de ser...
Nunca mais a merenda ao fim da tarde
A paz insuspeita da tenra idade
Infância, acalanto, amor.

Os perdidos domingos da lembrança
Meu pai, descansando da longa semana
A casa pulsando ao nesso redor...
Estão perdidos porque vividos
E não se vive de novo o mesmo amor.

A escola, as provas, a esperança
A idade se forjando em minha alma
E você, voz carinhosa
Chamando o menino
Que você ninou e viu crescer.

Ah! Pudesse a voragem do tempo poupar-nos
                                                        a lágrima
Quando a mente resgata dentre as sombras a luz

                                                         maior
Eu encontraria para esta elegia o sorriso
                                                         leve
Que anos de chumbo riscaram do sorrir.


Voltaria a descer as longas escadas
Ligar a TV
Perdidos no Espaço
Viagem ao Fundo do Mar

Minha mãe ainda tão moça
Meu pai me chamando para brincar...

Com voc~e, partiu o que jamais fica
Por mais que queiramos preservar
Segue em frente
O céu lhe espera
Daqui fico a relembrar...

E que não pulse nesta lembrança
Nem mágoa nem amarga desilusão
Nalgum lugar
Aquela criança ainda espera
O carinho sempre terno de sua mão.









 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 27/05/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo (www.alexandregazineo.com)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários