Textos


A planíce
A vida
A guerra
A pintura no rosto
Do homem que espera
A morte.


Pelos campos, a dor
Squaws a chorar os perdidos
Filhos
Os deuses lamentosos
Não evocam mágicas
Onde está o xamã
De todas as maravilhas?


O branco do rosto
Sem pinturas e sem arte
Vitorioso até os ossos...
E os ancestrais que ignoram
O verde tingido de sangue
O horizonte que não amanhece.

E na distância indiferente
A bruta silhueta dos arranha-céus
Massacra
O guerreiro esfacelado
Que se escondeu
Em mim.
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 22/08/2013
Alterado em 22/08/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários