Textos


Esqueci o teu perfume
Tua voz não lembro mais
Nem os caminhos que fazias
Distraida
Pelos cantos e recantos
Da casa que abandonaste.

Esqueci teus conselhos
Tua fé, tua arrogância
A solene e divina
Doença
De amar muito a Deus
E pouco aos teus.

Não recordo, nem de longe
o traço dos lábios doces
Que amei beijar e eternizar
Nos poemas em que musa fostes
O amor que amei e ainda vou amar.

Mas ora cultivo esta amnésia
Sou homem, preciso vingar
Não o desespero, mas a sobrevivência
Preciso ir em frente
Não posso ficar...

E assim cultivo esquecimentos
Como quem planta jardins ao luar...
E abandonando -te nas dobras
Da noite muda
Grito a réstia de mágoa
Que, lembrada, insiste em ficar.


  
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 09/04/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo e o site www.alexandregazineo.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários