Textos



Bom dia!
Quem diria
Que o riso torto da alegria
Voltaria
A brilhar entre a neblina.

A cidade acordou inquieta
E eu vou como sempre
Dando de ombros
Provavelmente doente
Desbravar escombros.

A guerra travada no Olimpo
Entre deuses de gravata
Saudações, musa ingrata
Não restou reza nem mágica.

Bom dia!
Para uns, flor do dia
Para muitos, anestesia
Queria teu cheiro em minha pele
Teu desejo em minha boca...


Para excitar a delícia
De ser homem e menino
Orgasmo de santa louca

Bom dia!
Deus me guarde a intenção
Vou pra rua ser anjo cinza
Vagabundo
Imensidão
Até que você apareça
E me dê a mão.


alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 30/04/2012
Alterado em 13/06/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários