Textos



Tem gente, tanta gente
Cada vez mais e cada vez sem
Cara, cabelos, dentes
Tem gente que existe
E não sente
Que seu tempo por aqui findou.

Tem gente tão boa, crente
Amiga do Deus esperto
Aquele que faz tudo incerto
E ainda nos pede louvor.
Tem gente que tem alma
De elefante, pesada
insensível à dor.

Tem gente e gente e mais gente
Neste velho cavalo
O mundo em que a gente montou...
Melhor seria bem mais vazio
Sem sons, apoteoses, cacofonia
Salão deserto de fastio e horror.

Mas não tem jeito
Porque João agarra Ana
Chama ela de amor
Depois vira piranha
E aí vem mais gente
Devorar o que restou.

Se eu pudesse apagava tanta gente
Com uma borracha incolor
Ia deixar o planeta limpinho
Do jeito que sempre se sonhou.

Mas quem pode contra tanta gente?
Ninguém! Diz o Papa
Foi Deus quem os criou...

Pelo menos, nesta balbúrdia
Um consolo restou
Deus criou sua auto-heresia
Paciência!
Mas foi desse mesmo jeitinho
Que Ele também me criou.

alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 02/12/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários