Textos




Salomão acertou, o rei tinha razão
O tempo nos espreita, filosoficamente,
Fera faminta e sem coração
A nos caçar, sedento, cruelmente...

Se ao menos uma arma divina nos poupasse
Da armadilha que é deixar para amanhã
Tudo o que o hoje nos grita...

Seríamos crianças felizes,
Jamais velhos, eternos cisnes
Deslizando por águas benditas.

Mas a fé e força que nos alimenta
Sempre é nada, o mundo a traga
E o que sobra é essa perplexidade manca
Esta covardia que fere e sangra.

Existe, sim, um tempo para tudo,
Um outro rosto para cada dia
Um sol para cada manhã...

Pois nenhuma manhã será como aquela
Que talvez nos viu nascer...
Vamos indo, que o tempo arma ciladas
Pelas vilas e estradas
Noites e madrugadas. 


 
alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 17/12/2009
Alterado em 14/01/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários