Textos


Teu sorriso, pura pétala em jardins de pedra,
floresce em manhãs de cinzento tédio,
corta a rudeza da rocha sólida
diamante intrépido...

És senhora da mágica perdida
corpo invisível e lépido,
deusa pagã...
invades os sentidos, revives o passado
oculto no sabor das maças.

De herança deixo-te o paraíso do ócio,
calada língua pontilhada de enigmas...
tu és simples como orgasmo de menina,
falas pela minha boca com intimidade divina.

Difícil ver-me longe de ti, deserto de tua nau
os mares antes sonhados, agora perto
como quintais devassados, roupas no varal...

Nossa vida é um subúrbio honesto
onde vivemos cotidianas cerimônias...
tragicamente apaixonados como um par medieval.

alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 19/08/2008
Alterado em 09/05/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Alexandre Gazineo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários