Textos


TESTAMENTO DE AMOR


A quem interessar possa
Dito aqui meu testamento...
Não pelo medo de certo momento
Quando o que somos deixará de ser...
Mas pelo amor represado
Que em uma vida não há de ser saciado
Dito aqui o que quero dizer.

Deixo meu amor intocado
Puro, como água de fonte
A quem, sem nome ou importância,
Imagem prezada na distãncia
Estendeu-me a mão em carinho sem par.

Deixo o vermelho do meu sangue
Para ela, que em seus lábios doces
Me chama amor.
Que ela viva, intocada pela dor
Que ela seja mais do que sou
Que guarde em si meu abraço e meu calor.

Aos filhos, que virão ou não
E eles sempre vêm, ao menos em alma
Deixo uma mansão de sensações...
Salas repletas de sorrisos
Paredes ornadas de emoção
O resto, eles constroem sozinhos,
Na palma da mão.

Aos amigos, ah! essas raras criaturas...
Deixo meu muito obrigado
Pelos momentos em que, cansado,
Me acolheram sem hesitação.
Deixo também um recado,
Continuem sempre amigos
Gentis, doces, inesperados.

Ao mundo,
Não sei se deixo nada
Ridícula pretensão.
Mas deixo os rastros dos meus passos
Nas areias dessa imensidão...

E se esses pequenos traços
Servirem de rota para outro irmão...
Então, é certo que deixei tudo
Principalmente meu coração.


alexandre gazineo
Enviado por alexandre gazineo em 05/06/2008
Alterado em 03/05/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários